O meu nome é Morr. Sou um cineasta de animação.

Queria fazer filmes de animação desde que me lembro...

Fiz vídeos de stop motion com argila e joguei com Flash durante todo o liceu.

Mas eu... ainda assim não pensei que pudesse fazer isso como animador.

Eu sempre soube que queria ir para a School of Visual Arts em Nova York, mas decidi me candidatar como publicitário, não como animador.

Nunca fui muito bom a desenhar e pensei que não conseguiria nenhum trabalho como animador.

Então candidatei-me ao programa de publicidade deles...

Mas eu não entrei...

Sim. Fui rejeitado da escola de arte.

Candidatei-me a 4 outras escolas de arte em Nova Iorque e também não entrei em nenhuma delas.

Levei mais um ano de aulas de desenho da vida só para conseguir entrar pela porta.

Acabei por entrar.

Depois de um semestre de publicidade, eu sabia que não era para mim.

Mas encontrei outro departamento na escola. Uma que eu não conhecia:

Arte Computacional e Efeitos Visuais.

Sempre pensei que os animadores tinham de ser artistas fantásticos com capacidades de desenho loucas, mas aqui havia outra forma de fazer filmes.

Era animação 3D.

Quando você animar em 3Dnão precisas de desenhar nada.

Você pode se concentrar na ação, atuação, forma e emoção.

Você não é impedido pelo seu habilidades de lápis.

Eu sabia que era assim que ia fazer filmes.

E foi isso que eu fiz

A minha primeira curta-metragem foi sobre dois peixes falantes...presos juntos num aquário. Fazer aquele filme ensinou-me muito sobre representação e diálogo.

Depois de me formar, fiz o meu segundo filme, sobre um cubo e uma bola. Fazer aquele filme ensinou-me muito sobre como criar emoções em objectos invulgares.

O meu último filme é sobre um guerra entre fornecedores de alimentos entre um peixe e um porco. Foi o meu maior projecto até à data e envolveu uma equipa de 15 pessoas. Fazer aquele filme ensinou-me muito sobre colaboração.

A personagem de peixe do meu último filme, Tasteful.

Compartilhando meu processo

Decidi que com a Bloop Animation não só vou fazer filmes, mas também partilhar o processo de os fazer.

As razões para isso foram:

  • Acredito que compartilhar seu processo é a melhor maneira de construir lentamente um público que assistirá aos filmes.
  • Adoro ensinar e gosto do efeito que os meus tutoriais e cursos têm sobre outros cineastas e animadores, que muitas vezes são levados a fazer as suas próprias criações.

Fazer cursos e construir uma plataforma de aprendizagem para animação também me permitiu não ter nenhum trabalho freelance e focar apenas em meus próprios projetos.

A Bloop Animation é agora um negócio auto-sustentado com mais de 15 mil alunos matriculados e milhões de leitores/visitantes.

E estamos apenas a começar.

Nós continuamos adicionando novos cursos, escrevendo mais artigos, postando novos vídeos e alcançar mais artistas.

E essa é a parte importante.

É disso que se trata - fazer animação, compartilhar nosso processo e inspirar a ação.

Obrigado por teres vindo.

- Morr